Alentejo

Tempo para ser feliz

  • Alentejo
  • Alentejo
  • Alentejo
  • Alentejo
  • Alentejo
  • Alentejo
  • Alentejo
  • Alentejo
  • Alentejo

O Alentejo, uma das áreas mais extensas do sul de Portugal, tem-se afirmado nos últimos anos como um importante território na produção de vinhos tintos grandes, maduros e frutados, fáceis de beber.

Tendo definido as suas primeiras sub-regiões em 1989, a entrada de Portugal na UE trouxe ao Alentejo, o esperado e necessário investimento em vinhas e adegas, com a tecnologia moderna – especialmente o controle de temperatura – a tornar possível a produção de vinhos brancos bons e suaves e vinhos tintos ricos. O centro da região, que circunda as cidades de Évora, Borba, Estremoz e Reguengos, é uma zona mais quente, permitindo a produção de vinhos com um bom equilíbrio de acidez. Mais a sul, na zona de Beja, as elevadas temperaturas que se sentem permitem a produção de vinhos de excelente qualidade.

Os solos podem ser de granito e xisto, mas também calcário. A paisagem alterna entre sobreiros e oliveiras, campos de lavanda, trigo dourado, milho, girassol, vinhas e pasto.

Os vinhos DOC Alentejo só podem ser produzidos em certos enclaves dentro da maior área do Vinho Regional do Alentejo. Com o propósito de regulamentar o crescimento das vinhas e a vinificação nos vários microclimas e terrenos, a DOC Alentejo está dividida em oito sub-regiões: Portalegre, Borba, Redondo, Vidigueira, Reguengos, Moura, Évora e Granja / Amareleja. Todos os vinhos DOC são rotulados DOC Alentejo e por vezes qualificados também pelo nome da sub-região.



Partilhar conteúdo: