Fundação Eugénio de Almeida

Considerada a melhor PME do setor agrícola nos Prémios Agricultura 2014 10/12/2014

  • Fundação Eugénio de Almeida

A Fundação Eugénio de Almeida foi considerada a melhor Pequena e Média Empresa (PME) do setor agrícola nos Prémios Agricultura 2014, iniciativa que visa promover, incentivar e premiar os casos de sucesso dos setores Agrícola, Agroindustrial, Pecuário e Florestal nacionais. O Prémio foi entregue a Luís Rosado, Administrador Delegado da Fundação Eugénio de Almeida, no passado dia 04 de dezembro, em Lisboa, numa cerimónia que teve a presença de Assunção Cristas, Ministra da Agricultura e do Mar.

O Prémio Agricultura 2014 é uma iniciativa do BPI, do Correio da Manhã e Jornal de Negócios, com o apoio da PwC e o patrocínio do Ministério da Agricultura e do Mar.

Para Luís Rosado, Administrador Delegado da Fundação Eugénio de Almeida, “ é com grande orgulho e satisfação que recebemos este prémio. Ele representa o reconhecimento do esforço e dedicação de uma equipa que trabalha diariamente na procura de novas soluções de produção, de forma a diversificar as atividades, e na construção de marcas que se distinguem pela excelência, qualidade e individualidade”.

A Fundação Eugénio de Almeida tem a sua atividade empresarial centrada na produção agrícola, pecuária e agroindustrial, com crescimentos expressivos nos últimos anos, que se devem sobretudo, segundo o mesmo responsável, “à conquista de novos mercados para os vinhos e azeites, bem como ao aumento e diversificação das produções agrícolas, graças à introdução de novas culturas de regadio, que o projeto de Alqueva veio permitir”.

Para além da produção e comercialização de vinhos de grande notoriedade, a Fundação dispõe ainda de marcas de azeite de qualidade, dedicando-se também à produção de milho e outros cereais, hortícolas, papoila, carne de bovino, ovinos e porcos alentejanos.

O Enoturismo Cartuxa é também uma referência no setor e na região, estando previstas mais de 8000 visitas durante o corrente ano, na sua maioria de estrangeiros, com particular destaque para os brasileiros. O Administrador Delegado adianta ainda que “o volume de negócios cresceu nos últimos dez anos a uma média de 14% ao ano, tendo ultrapassado os 19 milhões de Euros em 2013, prevendo-se para este ano mais de 20 milhões”. Para o período 2014-2020, estão já “identificados investimentos bastante significativos, tanto na produção agrícola, como nas agroindústrias, preparando-se a Fundação Eugénio de Almeida para os desafios do futuro através do aumento e diversificação das produções, com um volume de negócios que se prevê atinja os 30 milhões em 2021”, concluiu.

Partilhar conteúdo: